Mostra Jorge Sanjinés



Política, memória e resistência indígena na Bolívia

Jorge Sanjinés foi o primeiro cineasta boliviano a incorporar as línguas Quéchua e Aymara nos filmes do país, realizou mais de uma dezena de longas-metragens e foi diretor do Instituto de Cinematografia Boliviana. Autor do livro “Teoria e prática de um cinema junto ao povo” (1979), inaugurou uma estética cinematográfica marcada pela sensibilidade social e por um imaginário contra-hegemônico, desenvolvendo uma nova forma de fazer cinema, junto às comunidades indígenas. A mostra “Jorge Sanjinés: um cinema junto ao povo” é uma retrospectiva de nove filmes do diretor, que apresentará esta obra tão pouco conhecida no Brasil

Imagem-Sanjines-2

 JORGE SANJINÉS: UM CINEMA JUNTO AO POVO
28 de novembro a 03 de dezembro de 2017
Entrada gratuita

Programação da Mostra “Jorge Sanjinés: um cinema junto ao povo”

28 DE NOVEMBRO, TERÇA-FEIRA

Centro Cultural São Paulo
17h
REVOLUÇÃO (REVOLUCIÓN), 1963, 10 min.

UKAMAU (ASÍ ES/ É ASSIM), 1966, 72 min.

19h
SANGUE DE CONDOR (SANGRE DE CÓNDOR/ YAWAR MALLKU), 1969, 70min.

 

29 DE NOVEMBRO, QUARTA-FEIRA

Centro Cultural São Paulo
17h00
A CORAGEM DO POVO (EL CORAJE DEL PUEBLO), 1971, 90 min.

19h00
O INIMIGO PRINCIPAL (EL ENEMIGO PRINCIPAL/ JATUN AUK’A), 1973, 103 min.

 

30 DE NOVEMBRO, QUINTA-FEIRA

Centro Cultural São Paulo
17h00
INSURGENTES (INSURGENTES) 2012, 83 min.

19h00
A NAÇÃO CLANDESTINA (LA NACIÓN CLANDESTINA), 1989, 128 min.

Casa do Povo
19h00
JUANA AZURDUY, GUERRILHEIRA DA PÁTRIA (JUANA AZURDUY, GUERRILLERA DE LA PATRIA), 2016, 103 min.

 

01 DE DEZEMBRO, SEXTA-FEIRA

Centro Cultural São Paulo
15h00
UKAMAU (ASÍ ES/ É ASSIM), 1966, 72 min.

17h00
JUANA AZURDUY, GUERRILHEIRA DA PÁTRIA (JUANA AZURDUY, GUERRILLERA DE LA PATRIA), 2016, 103 min.

19h00
AS BANDEIRAS DO AMANHECER (LAS BANDERAS DEL AMANECER), 1983, 76 min.

Galeria Olido
19h00
SESSÃO ESPECIAL COM O CONVIDADO IVÁN SANJINÉS (CEFREC, BOLÍVIA)
Exibição de vídeos do Centro de Formação e Realização Cinematográfica (CEFREC) e debate com o diretor Iván Sanjinés.

 

02 DE DEZEMBRO, SÁBADO

Centro Cultural São Paulo
15h00
REVOLUÇÃO (REVOLUCIÓN), 1963, 10 min.

SANGUE DE CONDOR (SANGRE DE CÓNDOR/ YAWAR MALLKU), 1969, 70 min.

17h00
CONFERÊNCIA
“50 anos do Nuevo Cine Latinoamericano e o cinema ‘junto ao povo’ de Jorge Sanjinés”
com a presença de María Aimaretti, professora Doutora de História do Cinema Latino-americano e Argentino da Universidade de Buenos Aires (UBA), e Yanet Aguilera, professora Doutora do curso de História da Arte da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP).

19h00
A NAÇÃO CLANDESTINA (LA NACIÓN CLANDESTINA), 1989, 128 min.

 

03 DE DEZEMBRO, DOMINGO

Centro Cultural São Paulo
15h00
A CORAGEM DO POVO (EL CORAJE DEL PUEBLO), 1971, 90 min.

17h00
O INIMIGO PRINCIPAL (EL ENEMIGO PRINCIPAL/ JATUN AUK’A), 1973, 103 min.

19h00
AS BANDEIRAS DO AMANHECER (LAS BANDERAS DEL AMANECER), 1983, 76 min.

   

SINOPSES

REVOLUÇÃO (REVOLUCIÓN), 1963, 10 min.

Sinopse:
Revolução mostra as condições de vida miseráveis da grande maioria dos habitantes da Bolívia e as manifestações dos trabalhadores que sofrem com a repressão policial.

Ficha técnica:
Direção, Fotografia e Montagem: Jorge Sanjinés/ Argumento: Oscar Soria; Jorge Sanjinés/ Produção: Ricardo Rada/ Música: Atahuallpa Yupanqui.

 

UKAMAU (ASÍ ES/ É ASSIM), 1966, 72 min.

Sinopse:
Uma jovem camponesa aymara é estuprada e assassinada por um comerciante mestiço. Antes de morrer, consegue dizer o nome do assassino ao marido, que aguarda um ano até o dia da vingança, um duelo até a morte. O filme é uma metáfora sobre a recuperação da soberania indígena.

Ficha Técnica:
Direção, Roteiro e Montagem: Jorge Sanjinés/ Produção: Nicanor Jordán Castedo/ Música: Alberto Villalpando/ Fotografia: Hugo Roncal; Genaro Sanjinés.

 

YAWAR MALLKU (SANGRE DE CÓNDOR/ SANGUE DE CONDOR), 1969, 70 min.

Sinopse:
Em uma comunidade quechua, uma equipe da agência estadunidense Corpos da Paz se dedica a esterilizar jovens camponesas sem o seu consentimento. Ignacio, chefe da comunidade, descobre o crime que esterilizou sua própria esposa e se junta à comunidade para cobrar justiça. Inspirado em fatos reais, a repercussão do filme levou à expulsão dos Corpos da Paz da Bolívia.

Ficha Técnica:
Direção e Montagem: Jorge Sanjinés/ Produção: Ricardo Rada/ Música: Alfredo Dominguez; Ignacio Quispe; Alberto Villalpando/ Fotografia: Antonio Eguino.

 

A CORAGEM DO POVO (EL CORAJE DEL PUEBLO), 1971, 90 min.

Sinopse:
Em 24 de junho de 1967, seria realizado um amplo encontro operário para discutir o apoio que seria dado à guerrilha, que estava lutando em Ñancahuazú, na Bolívia. Na noite de São João, o exército boliviano invadiu o acampamento mineiro “Siglo XX” e assassinou dezenas de mineiros. Se trata de uma reconstrução fiel do fato verídico, encenada por sobreviventes do massacre.

Ficha Técnica:
Direção e Montagem: Jorge Sanjinés/ Roteiro: Oscar Soria/ Música: Nilo Soruco/ Fotografia: Antonio Eguino.

  

A NAÇÃO CLANDESTINA (LA NACIÓN CLANDESTINA), 1989, 128 min.

Sinopse:
Sebastián Mamani retorna à sua comunidade aymara de origem, da qual  foi expulso tempos atrás. Durante sua viagem de volta, relembra seu passado, carregando uma qhipa, grande máscara nas costas, para dançar até a morte. Um ritual de expiação pelos pecados que causaram seu exílio, forma de renascimento de sua identidade cultural perdida.

Ficha Técnica:
Direção, Roteiro e Montagem: Jorge Sanjinés/ Produção: Beatriz Palacios/ Música: Cergio Prudencio/ Fotografia: Cesar Pérez.

 

O INIMIGO PRINCIPAL (EL ENEMIGO PRINCIPAL/ JATUN AUK’A), 1973, 103 min.

Sinopse:
Baseado em fatos reais ocorridos nas montanhas do Peru, o filme reconstrói a história de um grupo de guerrilheiros que julgam e executam Gamonal Carrillos e seu capataz, autores de abusos atrozes e crimes contra os membros de uma comunidade quechua andina. Quando os guerrilheiros deixam a comunidade, se deparam com a repressão militar.

Ficha Técnica:
Direção: Jorge Sanjinés/ Roteiro: Jorge Sanjinés; Oscar Zambrano/ Produção: Marita Barea/ Música: Camilo Cusi; Selección de música popular boliviana/ Fotografia: Héctor Ríos; Jorge Vignatti.

 

AS BANDEIRAS DO AMANHECER (LAS BANDERAS DEL AMANECER), 1982, 76 min.

Sinopse:
Documentário sobre a luta popular que possibilitou a recuperação do processo democrático – interrompido pelo golpe militar do coronel Natush, em 1979 – e a tomada do poder pelo general García Mesa, apenas um ano depois. Acompanhando os eventos, o filme aborda o alto grau de consciência social e política do povo da Bolívia.

Ficha Técnica:
Diretor: Jorge Sanjinés; Beatriz Palacios/ Roteiro e Montagem: Jorge Sanjinés/ Fotografia: Jorge Sanjinés; Eduardo López/ Câmera: Jorge Sanjinés; Eduardo López/ Música: Marcelino Quispe/ Produção Executiva: Beatriz Palácios.

 

INSURGENTES (INSURGENTES), 2012, 83 min.

Sinopse:
Por meio da reconstrução de momentos históricos cruciais da luta dos povos indígenas da Bolívia, o filme retrata a recuperação da soberania massacrada pela colonização espanhola. O filme resgata a história da luta de heróis indígenas até o momento atual, em que pela primeira vez um indígena ocupa a Presidência da República.

Ficha técnica:
Direção, Produção, Roteiro e Montagem: Jorge Sanjinés/ Direção de fotografia e câmera: Juan Pablo Urioste/ Direção de som: Luis Fernando Bolivar/ Música: Cergio Prudencio/ Direção de Arte: Serapio Tola/ Produção Executiva: Victoria Guerrero

 

JUANA AZURDUY, GUERRILHEIRA DA PÁTRIA GRANDE (JUANA AZURDUY, GUERRILLERA DE LA PATRIA GRANDE), 2016, 103 min.

Sinopse:
O filme aborda o encontro entre os libertadores Simón Bolívar e Antonio José de Sucre, na cidade de Chuquisaca, em novembro de 1825. Naquela época, Juana Azurduy se encontra na pobreza e narra a história de vários dos heróis montoneros da Guerra Republicana, inclusive sua própria experiência durante os 16 anos de luta contra os colonizadores espanhóis.

Ficha técnica:
Direção e Roteiro: Jorge Sanjinés/ Direção de Fotografia: Cesar Pérez/ Música: Cergio Prudencio/ Correção de cor/efeitos especiais: Cristobal Infante

 

REALIZAÇÃO:

Fundação Rosa Luxemburgo
Prefeitura Municipal de São Paulo
Centro Cultural São Paulo
Circuito SPCine

Produção:

Associação Cultural Fábrica de Cinema

Coprodução

Buena Onda Produções

Parceria:

Casa do Povo

Apoio:

Bar da Dona Onça