Junho de 2013



Cinco anos depois, qual é o horizonte?

Roda de conversa, em 12/06, irá refletir sobre os ganhos e perdas das grandes mobilizações que ganharam as ruas do Brasil em 2013

Sao Paulo- SP- Brasil- 08/01/2016- Movimento Passe Livre (MPL), realiza ato contra o aumento das tarifas do transporte público na cidade de São Paulo. Foto: Paulo Pinto/ Fotos Públicas

Por Fundação Rosa Luxemburgo 

Junho de 2013. O que era inicialmente um protesto contra o aumento das tarifas de transporte público, se ampliou e se tornou uma jornada de mobilizações que envolveu milhares de pessoas que ocuparam as ruas em todo o Brasil. Passados cinco anos do que ficou conhecido como as jornadas de junho, fica a reflexão: quais as potências, limites e aprendizados deste momento? E mais, como estas manifestações reverberaram e ainda reverberam no cenário político e social do Brasil?

Com o objetivo de se somar à esta discussão, a Fundação Rosa Luxemburgo promove o debate Junho de 2013, 5 anos depois, o que ficou? A atividade contará com a participação da socióloga Marília Moschkovich, Vitor Lima, integrante do MTST/RJ e de ativistas do Movimento Passe Livre que integraram as manifestações de 2013 e também que estão hoje na articulação.

A iniciativa faz parte da programação do Junho Sendo, uma série de debates, lançamentos de livros, exibições de filmes e exposições que acontece de 6 até 23 de junho, em diversos espaços da cidade de São Paulo.

Flyer_Evento 12 imagem2 certa

SERVIÇO

Junho de 2013: Cinco anos depois, o que ficou?
Data: 12/06/2017
Horário: 19h
Local: Fundação Rosa Luxemburgo – Rua Ferreira de Araújo, 36 – Pinheiros – SP
Confirme Presença
Entrada gratuita

Foto: Paulo Pinto/Fotos Públicas